fbpx

Thiago Reis fala sobre a importância de jovens se interessarem pelo funcionamento da política nacional

Show all

É muito importante que nossos jovens se interessem pela política do país e também mundial. Então, quando vejo o interesse crescente pelo assunto entre nossos estudantes, considero muito animador, porque aprendemos muito pouco sobre nosso sistema de governo nas escolas e é essencial que eles se interessem e entendam como tudo funciona. Só assim podem contribuir adequadamente como cidadãos.

Em todas as eleições acompanhamos campanhas para fazer os jovens de 16 a 18 anos tirarem os seus títulos de eleitor, mas este ano a campanha ganhou muito mais força, com apoio até de celebridades internacionais, o que mostra a importância desse momento no Brasil e no mundo.

Essas campanhas funcionaram sim, ao meu ver, quase dobrando o número de novos títulos, e espero que isso ajude essa e novas gerações a compreender melhor como funciona o nosso país e nosso sistema governamental, de política e justiça.

Qual a importância do ensino de disciplinas que ensinam como se dá o funcionamento das organizações políticas e das engrenagens do poder público para crianças e adolescentes? Como se dá essa questão nos EUA?

Não há dúvida de que nossos alunos têm um longo currículo escolar para estudar, mas percebemos que é necessário que o próprio funcionamento do governo, da política e da justiça brasileira seja tema de disciplinas escolares. Não podemos nos dar o luxo de deixar que nossos jovens fiquem alheios ao funcionamento do próprio país.

Nos Estados Unidos, e aqui no Brasil em programas de high school americanos, vemos disciplinas como a de Civics (Conhecimento Cívico, em tradução livre), que traz um conteúdo especialmente voltado para este assunto. Alunos de Civics compreendem o básico sobre política ocidental, aprendendo sobre sistema presidencialista, funcionamento do congresso ou parlamento, como se dividem os três poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário) e como essas esferas se comunicam para fazer o país funcionar.

Talvez nos Estados Unidos haja uma urgência maior em levar este conhecimento para os estudantes pelo fato de lá o voto simplesmente não ser obrigatório, fazendo com que seja necessário convencer a todos de sua importância a todo o momento. No Brasil, como o voto é obrigatório a partir dos 18 anos, pode parecer que esse é um assunto que as pessoas serão obrigadas a aprender e entender em algum momento, então não seria preciso fazer muita coisa para isso. 

Só que não dá para ser assim. O problema de deixar nossos estudantes à própria sorte é eles não entenderem realmente a importância e o impacto que eles podem ter no futuro deseu país. Mostrar para eles como eles são essenciais e protagonistas nesse processo pode dar a eles um senso de responsabilidade em participar das eleições e também criar o interesse em participar ativamente desse processo, não só votando, mas participando de debates, sugerindo propostas e mais.

Em nosso programa de high school, incentivamos alunos a criar conjuntos de propostas para melhorias de suas comunidades e inclusive a entrar em contato diretamente com políticos para apresentá-las. Essa é uma proposta relacionada com nossa metodologia ativa de Aprendizagem Baseada em Projetos, onde alunos precisam apresentar soluções para problemas e situações reais. É colocando nossos alunos nessas situações de relavância que conseguimos fazer com que eles se sintam responsáveis pelo seu próprio futuro.